Eletromotricidade nos icônicos táxis de Londres

black cabs elétricos

A Companhia de Táxi de Londres inaugurou, dia 22 de março, sua fábrica em Coventry, cidade a 153 km de Londres e também sede da Jaguar, para produzir seus “Black Cabs” elétricos para o Reino Unido e mercados internacionais.

O governo britânico está investindo 80 milhões de libras para apoiar o projeto, que será direcionado à pesquisa e desenvolvimento no local, ajudará a financiar a instalação de estações de carregamento elétrico e incentivará os motoristas de táxis a comprar os veículos novos e mais limpos.

A partir de janeiro de 2018 todos os Black Cabs vendidos no Reino Unido deverão usar a eletromotricidade, nos esforços para melhorar a qualidade do ar das principais cidades, especialmente a capital.

O grupo chinês Geely, proprietário da Companhia de Táxi de Londres, planeja vender os carros a partir de setembro. A planta, que após um investimento de 300 milhões de libras em sua construção, tem capacidade para produzir 20 mil veículos/ano porém a empresa pretende fabricar apenas cinco mil veículos até 2019.

O clássico design foi atualizado e o novo modelo elétrico, o TX5, substituirá as versões a diesel mais velhas.
A tecnologia por trás da nova fábrica e do veículo é de vanguarda. Ela foi desenvolvida com outras empresas do grupo Geely, incluindo a Volvo Cars, ao mesmo tempo em que recorre à tradição e à expertise da LTC no desenvolvimento de táxis.

Essa parceria fez com que o veículo mantivesse seus recursos essenciais, tais como ser acessível a cadeira de rodas e ter um alto nível de dirigibilidade, ao mesmo tempo que incorpora novos recursos, tais como uma cabine espaçosa, com assentos para seis passageiros, e um sistema altamente sofisticado de trem de transmissão elétrica.

O Geely Holding Group tem ambições de longo prazo para exportar os veículos para outras cidades ao redor do mundo onde o táxi preto de Londres é reconhecido – embora isso dependerá das condições comerciais com a Europa após a saída da Grã-Bretanha da UE.

Em janeiro, o grupo chinês anunciava grandes planos de expansão, o que significa que o táxi preto de Londres poderia em breve servir passageiros em outras cidades europeias, como Oslo, Amsterdã, Paris e Berlim. A empresa informa que já foi usado em pequena escala, em cidades como Baku, capital do Azerbaijão e Sydney, na Austrália.

O presidente da LTC (London Taxi Company), Carl-Peter Forster, afirmou: “A abertura da nossa nova fábrica marca vários recordes: é a primeira fábrica de automóveis da Grã-Bretanha há mais de uma década, a primeira fábrica de veículos elétricos dedicados no Reino Unido e o primeiro grande investimento chinês no setor automobilístico no Reino Unido. ”

Li Shufu, presidente da Zhejiang Geely Holding Group, disse: “A China continua a ver o Reino Unido como um hub para a inovação em novas tecnologias energéticas, para a fabricação de conhecimentos e habilidades”.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta