BgmRodotec adota nome Praxio para acompanhar evoluções tecnológicas

praxio

Automatize seu negócio. Esta é a premissa de maior consenso para crescer e ter sucesso no mercado atual e no futuro. E é também o mantra que move as soluções desenvolvidas pela Praxio, o novo nome da BgmRodotec, empresa que desenvolve soluções para transportadoras de cargas e passageiros, há 37 anos no mercado nacional.

Lauro Freire, sócio-diretor da Praxio

A mudança de nome faz parte de uma estratégia maior da empresa, que inclui aumentar o escopo de atuação, ir para outros mercados, oferecer soluções para novos segmentos e fazer novas aquisições de empresas e parcerias internacionais. “Tudo indica que este é o melhor momento para mudar o nome e a melhor oportunidade para contar isso ao mercado; nossa antiga marca já não estava conseguindo carregar todas essas mudanças”, explica Lauro Freire, sócio-diretor da Praxio. O novo nome vem do grego práxis, que significa ação. “Com as parcerias internacionais que estamos fazendo, precisávamos de um nome global, que fosse mais fácil de falar em outros países, e um nome que tivesse uma pegada mais digital para ficar claro para o mercado que estamos acompanhando a transformação digital, estamos mais modernos e estamos mudando a forma de fazer as coisas”, afirma.

Nesta fase de aquisição de empresas – no ano passado já foi adquirida a Hive.cloud – o objetivo é expandir o escopo de soluções para o mercado, ter acesso a novas tecnologias e capturar essas soluções globais para oferecer aos clientes dos mercados interno e externo.

praxio

Na visão de Freire, o mercado precisa de soluções que automatizem ao máximo a gestão, seja na logística, no transporte de cargas ou de pessoas. Isso significa automatizar a entrada de dados e automatizar a decisão, através da captura e do lançamento das informações eletronicamente, com uma riqueza maior de dados, sem esforço de um ser humano. Por exemplo, automatizar a entrada de dados de um formulário, ou de uma tela, através de escaneamento de documentos, ou automatizar a informação através de interconexão com os sensores de Internet das Coisas (IOT).

“Para automatizar a decisão precisávamos ter acesso à área de tecnologia de Inteligência Artificial. Para isso, estamos olhando empresas de fora e vendo a possibilidade de parcerias mundiais para ter acesso e trazer para os nossos clientes, sejam transportadores de passageiros ou pessoas, essa automatização da gestão, com robôs dentro da solução, tomando decisões e ajudando ao máximo o empresário a tomar decisão com o menor esforço e o menor time possível”, declara Freire.

As mudanças na empresa já haviam começado no ano passado, com um aporte de R$ 11 milhões em tecnologias ligadas à Internet das Coisas (IOT) e Inteligência Artificial (IA), com a aquisição da Hive.cloud, com a expansão da sede na capital paulista e com a contração de novos colaboradores que representaram um aumento de 10% na equipe, atualmente composta por cerca de 300 especialistas no segmento.  

O anúncio oficial da mudança de nome para Praxio foi feito durante a Lat.Bus – Feira Latino-Americana do Transporte, realizada no início do mês em São Paulo, e a empresa aproveitou para lançar algumas novidades em novas tecnologias. “Anteriormente, estávamos muito focados na gestão dentro da garagem do frotista: pagamentos, contabilidade, controle de pneus, oficina. Agora partimos para fora, com o monitoramento de frota”, anuncia.

Uma das soluções lançadas na feira é um ponto virtual que possibilita a qualquer motorista de uma frota fazer o registro de ponto através de um celular: o sistema registra o ponto, gera o processo daquele registro, tira foto da pessoa, confere se é a pessoa mesmo que está naquele lugar, se está no ponto certo, no horário certificado e dá a chancela de que aquele ponto é válido para o Ministério do Trabalho. Outra novidade apresentada no evento é um sistema de escala de motoristas mais intuitivo.

“Antes as soluções de gestão eram muito reativas, você via o que aconteceu. Depois elas evoluíram para preditivas e uma série de relatórios apontava antes o que aconteceria se as coisas continuassem daquela maneira. Agora, estamos fazendo soluções prescritivas e cognitivas. Nas prescritivas, o sistema vê sintomas do que vai acontecer e prescreve para os gestores o que fazer para solucionar a questão. Nas cognitivas, a Inteligência Artificial, vê o histórico e indica a melhor solução a ser tomada dentro desse cenário. Parece futurista, mas já temos esse uso no Waze que é prescritivo e cognitivo, ele prescreve a melhor rota entre algumas e tem decisões inteligentes para desviar do tráfego, em tempo real. Estamos colocando em prática uma tendência tecnológica que já está acontecendo no mundo inteiro com essa transformação digital”, antevê Freire.

De acordo com o executivo, até o final deste ano poderão ser anunciadas duas novas aquisições de empresas pela Praxio. Ele não revelou maiores detalhes, mas disse que elas vão contribuir para o ganho digital e que as duas são focadas na área de transporte de passageiros e de cargas. O foco não são as startups, são empresas de tecnologia já estabelecidas, mas Freire diz que “não deixa de olhar startups que, eventualmente, podem ser uma oportunidade interessante”. “No exterior, estamos olhando a tecnologia de uma empresa na Inglaterra, de IOT, bem interessante, estamos no caminho de fazer uma parceria ou uma aquisição, vai depender das tratativas”, revela Freire.

“Com a nova marca, queremos ser um hub de tecnologias para nossos clientes, já conectamos mais de 100 empresas e estamos puxando novas tecnologias para conseguirmos entregar uma solução muito mais intensa e melhor”, conclui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta