Atual frota de ônibus é a mais velha da série histórica da NTU

O país convive com uma das frotas mais envelhecidas de sua história. A idade média da frota nacional de ônibus, que soma cerca de 107 mil veículos, está em torno de cinco anos e dez meses, segundo dados da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU). É a maior idade média da série histórica apurada pela entidade desde 1994, superior aos picos atingidos após a crise econômica sofrida na segunda metade da década de 1990.

“É a frota mais velha circulando no Brasil. Significa que temos veículos com mais de 11 anos circulando”, avisa Otávio da Cunha Filho, presidente-executivo da NTU. A frota de ônibus do país, envelhecida, prejudica tanto as empresas operadoras quanto os passageiros do transporte coletivo. As empresas – são cerca de 1.800 operadoras de transporte público no país – arcam com custos mais elevados de manutenção e as quebras de veículos são mais frequentes, o que resulta em um atendimento menos regular para os passageiros do sistema, assinala o executivo.

Este ano, poucas cidades investiram em renovação de frota. Na avaliação de Cunha Filho, os municípios que ainda têm capacidade de investimento atualmente se resumem a duas capitais: São Paulo e Brasília, justamente porque esses dois sistemas contam com subsídio expressivo em suas tarifas de transporte por ônibus.

“Aqui em Brasília 50% do custo do transporte é bancado pelo estado e em São Paulo 30% do custo do transporte é pago com orçamento do município. São cerca de R$ 3 bilhões que o município retira do orçamento para manutenção das redes”, relata. Segundo ele, Curitiba, que durante anos foi exemplo de transporte público de qualidade, viu a qualidade do serviço cair nos últimos anos e atualmente “está em recuperação por força em uma mudança na política municipal onde há um entendimento e um compromisso dos empresários e do poder público de melhorar a qualidade do serviço”.

frota de ônibus do País

“Brasília é referencia no modelo de remuneração, mas o serviço não é bem racionalizado. Mas Brasília talvez possa vir a ser a vitrine para o transporte público do Brasil porque tem uma malha viária muito boa, tem espaços entre as avenidas e possui largos canteiros centrais que a maioria das cidades não têm porque os centros urbanos são muito congestionados, com ruas estreitas e grande dificuldade de circulação. Mas é preciso vontade política para fazer isso”, conclui.

Frota de ônibus do País

Hoje, 2.669 municípios, ou 48% do total de cidades do país, não possuem transporte público por ônibus. Nos 2.901 municípios atendidos por serviços organizados de transporte público, 28% das viagens de locomoção das pessoas são realizadas por transporte coletivo que inclui ônibus (85,7%), trilhos e outros (14,3%); 25% por automóveis; 4% por motocicleta; 2% por bicicleta e incríveis 41% a pé.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta