Arval intensifica ações de segurança com participação no Maio Amarelo

arval

As multas por excesso de velocidade, que têm pesado no bolso dos brasileiros, aliadas às campanhas sobre os riscos de dirigir após consumir bebidas alcoólicas e às ações para maior conscientização sobre direção segura, têm contribuído para aumentar a segurança no trânsito e reduzir as ocorrências de acidentes com automóveis.

“Observamos que nos últimos 12 meses tivemos um movimento de queda na sinistralidade dos principais clientes, em média 8 pontos percentuais”, relata Rodrigo Amaral, diretor de operações da Arval, empresa especializada em terceirização de frotas.

“Entendemos que esta redução na sinistralidade está ligada a alguns pontos, como diminuição da velocidade permitida nas principais vias e maior conscientização sobre a necessidade de treinamento sobre direção defensiva. Além disso, devido à crise e ao aumento no valor dos combustíveis, houve diminuição da circulação para atividades supérfluas”, complementa o executivo.

Ele credita o menor número de ocorrências também ao fato de que os veículos da empresa são conduzidos por um colaborador de um cliente pessoa jurídica que tem preocupação com o risco de imagem, perda do benefício ou até mesmo um possível desligamento da empresa após o envolvimento em um sinistro, o que contribui para uma condução mais responsável.

 

 

Na sexta-feira passada, dia 18, a Arval realizou uma ação de conscientização para clientes, parceiros de negócios e para o público em geral, apoiando o Movimento Maio Amarelo – uma iniciativa do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV) para chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo.

“O assunto ganhou ainda mais relevância, pessoas e empresas estão olhando para isso, vendo o quanto é importante para um gestor de frota, por exemplo, deixar de ter registro de mortes ou lesões permanentes em seu histórico de corpo de funcionários”, declara Amaral.

Em anos anteriores, a empresa já havia feito ações junto a clientes, participações ativas no Dia Nacional do Trânsito – comemorado no dia 25 de setembro – e patrocinado iniciativas do ONSV, mas esta foi a primeira vez que organizou um evento próprio para conscientização sobre o tema.

 

Simulação com óculos especiais que reproduzem a visão alterada de uma pessoa em diferentes graus de embriaguez

 

Em uma área comum do condomínio onde fica a sede da Arval, foram instaladas três estações de orientação a condutores. Uma delas mostrava os riscos de dirigir após ingestão de bebidas alcoólicas, com um simulador de um alcoolímetro com óculos especiais que reproduzem a visão alterada de uma pessoa em diferentes graus de embriaguez. Outra estação exibia um áudio-vídeo com orientações sobre os procedimentos corretos para a substituição de pneus, de forma a garantir a segurança do veículo e seus passageiros.

A terceira estação alertava sobre os perigos de dirigir em alta velocidade que podem ser agravados pelos diferentes tempos de reação e suas consequências. Segundo Sérgio Lobo, instrutor da Cepa Brasil, empresa de gestão de risco de frota que foi chamada pela Arval para dar orientações durante o evento, a possibilidade de um motorista morrer em um acidente a uma velocidade de 80 km/h é quatro vezes maior do que se o mesmo visse a ocorrer a uma velocidade de 40 km/h. “São três colisões em um acidente: o veículo colide em algo, o condutor colide com o cinto de segurança ou com o airbag e os órgãos internos do condutor se movem e colidem com o cinto”, ressalta.

Direção defensiva

Além do apoio ao Maio Amarelo, a Arval procura manter ao longo do ano ações de conscientização e melhoria da segurança no trânsito, entre elas a oferta de programas de direção defensiva para os clientes frotistas. “Quando eles concordam, temos parceiros que desenvolvem planos de treinamento”, explica.

Alguns clientes da Arval tiveram reduções significativas nas sinistralidades, de até 60%, após treinamentos de direção defensiva ministrados aos condutores.

Gestão de frotas

Atualmente, a Arval tem uma frota de aproximadamente 22.500 veículos em clientes de todas as regiões do país. A empresa trabalha com diferentes montadoras de automóveis e procura manter uma participação relativamente alta de veículos Premium.

A frota da Arval é equipada com soluções de telemetria para gestão de frotas. Cada veículo tem equipamento embarcado com a função de coletar parâmetros de uso e localização e enviar esses dados, via rede de telefonia, para uma central que organiza essas informações nos formatos de relatório e de alertas para os gestores de frota. É possível saber quais motoristas estão ultrapassando o limite de velocidade ou realizando frenagens bruscas, identificar quem sai da trajetória pré-estabelecida e emitir alertas sobre isso. O gestor pode acessar relatórios para verificar o comportamento geral da frota ou o uso individual de cada placa, a quantidade de infrações cometidas, o momento exato em que o carro estava em uso ou ocioso, o que permite melhor planejamento.

Para prestar serviço adequado a toda essa frota e estar presente em diferentes pontos do país, a Arval mantém parceria com uma rede de concessionárias, oficinas de rede e independentes e lojas de pneus.

Compartilhamento de veículos

 Segundo Amaral, a Arval está atenta à onda de compartilhamento de veículos como uma nova oportunidade que pode se abrir para a companhia.

“O compartilhamento sempre existiu, mas está crescendo e a intensificação veio para ficar. Boa parcela dos nossos clientes sempre fez isso, há décadas, são empresas que têm grandes frotas operacionais ou de equipes comerciais que cumprem diariamente roteiros de serviços”, explica. É o caso de, por exemplo, uma concessionária de serviços públicos que mantém um pool de carros à disposição e cada técnico ao chegar vai pegar o primeiro da fila, ou seja, os veículos são compartilhados.

Entretanto, o que se começa a ver é o uso de tecnologias para facilitar a aplicação desse recurso de compartilhamento, permitindo a localização do carro disponível, possibilitando planejar seu uso ou atribuindo corretamente uma multa ao condutor exato que estava na posse do veículo no momento da infração. “A Arval está atenta a isso”, ressaltou o executivo.

Ele acredita que há, também, uma questão cultural que reforça a demanda pelo compartilhamento, já que surge uma tendência de desapego à propriedade do veículo.

“As pessoas estão enxergando o veículo mais como um serviço do que como um elemento de status. Mesmo em frotas executivas fala-se nisso, em gerenciar os carros de forma compartilhada porque sempre tem alguém de férias, ou viajando. Isso cria oportunidades para nosso negócio porque as famílias também começam a enxergar o carro dessa forma, então, talvez se possa pensar em uma família típica que antes possuía boa parte do patrimônio familiar investida em automóvel, que se deprecia rapidamente, e que passa a alugar um veículo para um dos cônjuges e escolher soluções múltiplas de mobilidade para o outro cônjuge e é uma oportunidade para nosso segmento de negócio”, declara Amaral.

Fundada em 1989 e parte do grupo BNP Paribas, a Arval gerencia no mundo mais de 1 milhão de veículos. O portfólio de clientes é formado por empresas de pequeno, médio e grande portes, também internacionais, e o foco está em desenvolver soluções personalizadas para otimizar a mobilidade e terceirizar riscos associados à frota de veículos.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta