Marcopolo paralisa parcialmente suas atividades

incêndio marcopolo

A Marcopolo anunciou hoje (04/09) que vai paralisar parcialmente as atividades de suas unidades Ana Rech e Planalto, durante esta semana, para avaliar os impactos e quais medidas deverão ser tomadas após o incêndio que destruiu parte da unidade de plásticos da empresa em Caxias do Sul (RS), neste domingo (03/09).

Segundo comunicado emitido pela empresa, pelo fato de o incêndio ter ocorrido em uma unidade que fica separada da linha de produção de ônibus, nenhum veículo pronto ou em fabricação foi atingido, assim como nenhum chassi que estava aguardando a programação para entrar em linha.

“Apesar de o ônibus ser composto predominantemente por estrutura em aço e chapas de aço e alumínio, os componentes plásticos são itens relevantes para o acabamento dos produtos e, por isso, a paralisação na sua fabricação pode afetar a produção e montagem do veículo como um todo”, diz a empresa, no comunicado oficial.

A unidade de plásticos da Marcopolo foi construída em 2008, em uma área de 16 mil metros quadrados, que ocupa cerca de 15% da área total coberta da unidade Ana Rech. Essa operação emprega cerca de 600 colaboradores e é dedicada à produção de componentes de ônibus, internos e externos, como teto e outros revestimentos internos.

“A Marcopolo tem como foco fatores como segurança, qualidade e prevenção. Essas ações têm feito parte dos mais recentes programas da empresa como o projeto de revitalização do Sistema Marcopolo de Produção Solidária (Simps/Sumam), instituído ao longo de 2016, com base nos princípios Lean e realização de Kaizens (melhoria contínua) com o envolvimento e treinamento de colaboradores. Os resultados foram ganhos de eficiência, segurança e qualidade, redução de custos, além de um melhor ambiente de trabalho e bem-estar de todos os colaboradores. Nas operações brasileiras, foram realizadas, somente no ano passado, mais de 60 semanas Kaizen que resultaram em quase 3,2 mil sugestões de melhoria, com mais de 2,8 mil implementadas”, informa a empresa em sua nota oficial ao público.

Em junho passado, a Marcopolo comemorou os 50 anos da Eici – Equipe Interna de Combate a Incêndio, criada em 1967. Atualmente a Eici da Marcopolo conta com 490 brigadistas, dois caminhões e Epis especiais para combate a incêndios. Um dos veículos possui cabine dupla com capacidade de transporte de cinco brigadistas, tanque de 8.000 litros de água e 500 litros de LGE (Líquido Gerador de Espuma – agente extintor para produtos inflamáveis), bomba e canhão monitor eletrônico de 1.000 GPM (galões por minuto – aproximadamente 3.700 litros/minuto), torre de iluminação e escada. Conta ainda com equipamentos específicos para os brigadistas, como cilindros de ar respirável e vestimentas específicas para combate a incêndio.

Segundo a empresa, anualmente os integrantes da equipe passam por seis treinamentos teóricos e práticos focados em primeiros socorros, uso de extintores e uso de mangueiras, além de simulados de emergências. Em 2016, esses treinamentos totalizaram 5.280 horas de capacitação.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta