4Fleet se credencia como o Uber do transporte corporativo

4Fleet

Quem já participou de algum evento sabe que nem sempre o shuttle ocorre da melhor maneira possível por falhas de comunicação entre o transportador, organizador e recepção. Buscando meios de integrar todas as pontas do transporte corporativo, um novo aplicativo surge para dar maior previsibilidade e eficiência às empresas do segmento, otimizando gestão da frota, recursos humanos e diminuindo a ocorrência de sinistros.

Trata-se do 4Fleet, uma plataforma de gestão comercial de frotas possível de ser replicada em todos os segmentos do transporte coletivo de passageiros ao criar condições virtuais para o monitoramento em tempo real, interação entre operadores, empresas, motoristas e passageiros.

Com isso, empresas de fretamento, vans e ônibus escolares, hospitais e órgãos públicos, organizadoras de eventos, operadores de frota e clientes conseguem organizar o trabalho de forma mais eficiente e reduzir custos aos ampliar os resultados da operação diariamente.  

A adesão dos usuários requer apenas um cadastro no portal www.4fleet.com.br, por meio do qual o usuário informa os dados dos veículos e da rede de motoristas que gerencia. A partir disso, o aplicativo possibilita registrar a data e a hora do transporte, trajeto percorrido, deslocamento de passageiros e a localização exata do embarque de cada um deles. O acompanhamento também pode ser feito por meio do aplicativo homônimo, disponível em aparelhos Android e IOS.

O 4Fleet foi criado pelos sócios Leandro Zillig, Luis Venancio e Richard Feliciano, que buscaram desenvolver a ferramenta a partir de necessidades não atendidas pela TI no transporte de passageiro, segmento em que os três têm atuação há muitos anos.

“No setor de transporte de passageiro há carência de tecnologias embarcadas que processem automaticamente informações”, disse Zillig. “Aplicativos como o Uber ampliaram a demanda por sistemas capazes de monitorar o veículo e a chegada dos usuários ao local de interesse. Isso foi um balizador para desenvolvermos uma série de serviços no 4Fleet tendo como base a geolocalização.”

Com isso, escolas podem ter maior controle sobre o fluxo de alunos. Já os hospitais, ao ter maior autonomia do transporte do pessoal e de pacientes, organizam melhor suas trocas de turnos. Empresas que recorrem ao fretamento descobrem ainda no embarque seu um funcionário não trabalhará em determinado dia, preparando a reposição da mão de obra mais rapidamente. A terceirização de frota também fica mais eficiente com uma base de dados sobre prestadores de serviço.
Também é possível, com o cruzamento de indicadores, saber o comportamento do motorista ao volante, eventuais desvios de finalidade ou avaria que comprometa o desempenho do trabalho. Com isso, cai o tempo de ociosidade do veículo.

Microempresários, como motoristas de vans escolares, proprietário de apenas um carro tem acesso à solução gratuitamente. A partir de dois veículos, a assinatura custa R$ 49 mensais. Planos profissionais para frotas acima de dez unidades, o preço sobe para cerca de R$ 300. Os sócios já demonstraram os ganhos de eficiência para grandes operadores do fretamento, como a Breda.

O 4Fleet foi desenvolvido sobre a estrutura de uma API, na sigla em português Interface de Programação de Aplicações aberta, viabilizando a integração com qualquer sistema de TI administrado pelas empresas, independentemente de linguagens e códigos. Todos os dados são criptografados em um ambiente seguro.

Num primeiro momento, o aplicativo está focado no transporte de passageiros, onde a legislação é mais rigorosa com os operadores por envolver vidas humanas. Mas o mesmo modelo também pode ser replicado para o transporte de cargas, onde também há um campo vasto de atuação.

A empresa, que começou como uma startup, estima que só no transporte de passageiros exista um potencial de mais de 10 mil empresas a serem atingidas. Apenas no transporte escolar são cerca de 170 mil operadores.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta